O que é?

A glicemia é a taxa de açúcar no sangue. Existem valores normais durante o jejum. Quando esses valores são altos, chama-se hiperglicemia; quando são baixos, tem-se a hipoglicemia.

Como ou por que ocorre

Hiperglicemia: a causa principal é o diabetes. Existe o diabetes tipo 1, causado pela destruição autoimune das células produtoras de insulina no pâncreas. Aparece na infância e na adolescência, mas pode também ocorrer em outras idades. No diabetes tipo 2, há produção de insulina, mas as células têm dificuldade em absorver o açúcar, pois são resistentes a ela. É mais comum em pessoas com mais de 40 anos, acima do peso, sedentárias, com alimentação inadequada.

Hipoglicemia: em geral, ocorre em pessoas que têm produção exagerada de insulina após ingerir açúcares ou carboidratos. Como existe muita insulina, a taxa de açúcar no sangue cai de modo intenso e rápido, levando a sintomas como enjoo, tontura e desmaio. Também pode ser causada por excesso de medicação contra diabetes.

Fatores de risco

No diabetes tipo 1 uma das possíveis causas é genética, portanto há risco em quem já tem familiares com a doença. O diabetes tipo 2 tem como fatores de risco: idade acima de 40 anos, excesso de peso, falta de atividade física, hipertensão arterial, alterações das taxas de colesterol e de triglicérides e histórico familiar de diabetes. Mulheres com filhos que nascem com mais de 4 kg ou as que têm alterações hormonais, como síndrome dos ovários policísticos, também têm mais risco. A hipoglicemia pode ser desencadeada por excesso de exercícios físicos, vômito, diarreia, jejum prolongado ou excesso de bebida alcoólica.

Dicas de prevenção e / ou curiosidade

Os problemas glicêmicos podem ser evitados ou melhorados com alimentação saudável, exercícios físicos e controle adequado de peso. O diabetes pode causar problemas sérios. É a principal causa de cegueira em adultos e de amputação de membros sem ser por acidentes; pode causar problemas renais e cardíacos. Portanto, o paciente diabético deve sempre manter os níveis de glicose no sangue bem controlados.

Tratamento

Para tratar os distúrbios glicêmicos, é importante ter alimentação saudável, pobre em açúcares, e fazer exercícios físicos regulares evitando a obesidade. Se voce utiliza medicamentos que diminuem as taxas de açúcar no sangue prescritos por seu médico, deve ficar atento para possíveis episódios de hipoglicemia. Caso isso se torne um problema, procure seu médico que poderá adequar sua medicação.

No diabetes do tipo 1, como a pessoa não fabrica ela precisa receber a insulina através de injeções. Para o diabetes tipo 2, existem medicações via oral que controlam as taxas de açúcar no sangue. Mas, às vezes, a insulina também é necessária.

Bibliografia Consultada » American Diabetes Association. Diagnosis and classification of diabetes mellitus. Diabetes Care. 2013 Jan;36(Suppl 1):S67-74. » American Diabetes Association. Defining and reporting hypoglycemia in diabetes: a report from the American Diabetes Association Workgroup on Hypoglycemia. Diabetes Care. 2005 May;28(5):1245-9. » Forouhi NG, Wareham NJ. Epidemiology of diabetes. Medicine (Abingdon). 2014 Dec;42(12):698-702. » Barceló A, Aedo C, Rajpathak S, Robles S. The cost of diabetes in Latin America and the Caribbean. Bull World Health Organ. 2003;81(1):19-27. » Knowler WC, Barrett-Connor E, Fowler SE, Hamman RF, Lachin JM, Walker EA, et al; Diabetes Prevention Program Research Group. Reduction of the incidence of type 2 diabetes with lifestyle intervention or metformin. N Engl J Med. 2002 Feb 7;346(6):393-403. » Tuomilehto J, Lindström J, Eriksson JG, Valle TT, Hämäläinen H, Ilanne-Parikka P, et al; Finnish Diabetes Prevention Study Group. Prevention of type 2 diabetes mellitus by changes in lifestyle among subjects with impaired glucose tolerance. N Engl J Med. 2001 May 3;344(18):1343-50.