• Qual é a diferença entre Síndrome do Ovário Policístico (SOP) e ovários policísticos?

  • Entre 20% e 30% das mulheres podem desenvolver cistos nos ovários, isto é, pequenas bolsas que contêm material líquido ou semissólido. São os ovários policísticos, que normalmente não têm importância fisiológica, mas que em torno de 10% estão associados a alguns sintomas. A diferença está no tamanho e no número de cistos. Geralmente, na Síndrome, existem de 10 a 20 pequenos cistos com meio centímetro de diâmetro, enquanto os cistos de ovário são únicos e bem maiores, medindo de 3 a 10 cm. Algumas mulheres podem ter a Síndrome dos Ovários Policísticos sem ter alterações no ovário. Nesse caso, ela tem todas as alterações hormonais decorrentes da doença, menos o problema no ovário1

    Bibliografia Consultada:Susan M Sirmans, Kristen A Pate; Epidemiology, diagnosis, and management of polycystic ovary syndrome; Clin Epidemiol. 2014; 6:1–13.
  • O que os cistos podem causar aos ovários e ao organismo?

  • Essa mulher tem, provavelmente, uma alteração no controle da função ovariana que acaba levando à produção do cisto. A maioria dos cistos de ovário não causa sintomas e acaba por desaparecer espontaneamente após algumas semanas. Portanto, muitas mulheres têm cistos de ovários e nem sequer ficam sabendo. Em geral, os cistos ovarianos não causam problemas de fertilidade e nem provocam alterações menstruais.

    Bibliografia Consultada:J. Salat-Baroux, P. Merviel, F. Kuttenn; Management of ovarian cysts.; BMJ. 1996 November 2; 313(7065): 1098.
  • Qual é a influência do ovário policístico no metabolismo?

  • Na síndrome dos ovários policísticos, além dos vários cistos de ovário e dos transtornos dermatológicos e menstruais, existe um componente metabólico importante que é a resistência periférica à ação da insulina, levando o organismo a uma produção aumentada deste hormônio. A resistência periférica à ação da insulina é uma condição geralmente associada ao início do diabetes tipo 2. Portanto, precisa ser tratada com acompanhamento médico, dieta, exercícios e medicamentos.

    Bibliografia Consultada:Harpal S. Randeva, Bee K. Tan, Martin O. Weickert, Konstantinos Lois, John E. Nestler, Naveed Sattar, Hendrik Lehnert; Cardiometabolic Aspects of the Polycystic Ovary Syndrome; Endocr Rev. 2012 October; 33(5): 812–841.
  • Quais são as complicações devido à produção exacerbada de insulina?

  • A resistência periférica à ação da insulina (RI) e o hiperinsulinismo compensatório à RI favorecem à deposição de gordura no organismo, diminui a queima da gordura - facilitando a obesidade e dificultando o emagrecimento -, além de ser poder desencadeador diabetes tipo 2, dislipidemias, risco cardiovascular, hipertensão arterial e diabetes gestacional.

    Bibliografia Consultada:David H Geller, Danièle Pacaud, Catherine M Gordon, Madhusmita Misra; State of the Art Review: Emerging Therapies: The Use of Insulin Sensitizers in the Treatment of Adolescents withPolycystic Ovary Syndrome (PCOS); Int J Pediatr Endocrinol. 2011; 2011(1): 9.
  • Existe alguma ligação entre SOP e depressão?

  • Sim, a Síndrome dos Ovários Policísticos é frequentemente associada a transtornos psicológicos e psiquiátricos, incluindo depressão e outros transtornos do humor.

    Bibliografia Consultada:Kristen Farrell, Michael Antoni; Insulin Resistance, Obesity, Inflammation, and Depression in Polycystic Ovary Syndrome: Biobehavioral Mechanisms and Interventions; Fertil Steril. 2010 October; 94(5): 1565–1574.
  • Qual é a relação entre as alterações hormonais e os cistos no ovário?

  • As mulheres com SOP geralmente carregam um defeito genético que é responsável por uma alteração no controle da função ovariana, o que leva à produção do cisto. Existe um alto grau de correlação entre mães e irmãs que tem a síndrome e pacientes com SOP.

    Bibliografia Consultada:Susan M Sirmans, Kristen A Pate; Epidemiology, diagnosis, and management of polycystic ovary syndrome; Clin Epidemiol. 2014; 6:1–13.
  • Por que a ovulação é prejudicada pela SOP?

  • Essa síndrome é marcada por um desequilíbrio hormonal complexo que, entre outros hormônios, afeta a produção daqueles responsáveis pelo correto funcionamento do ciclo menstrual feminino. O hormônio em questão é o LH que, normalmente na SOP, apresenta-se em grande concentração, fora do normal.

    Bibliografia Consultada:Julia Johansson, Elisabet Stener-Victorin; Polycystic Ovary Syndrome: Effect and Mechanisms of Acupuncture for Ovulation Induction; Evid Based Complement Alternat Med. 2013; 2013: 762615
  • Por que há mulheres que conseguem engravidar mesmo com SOP?

  • O diagnóstico da SOP inclui dois dos três critérios abaixo:
    - Oligo ou anovulação;
    - Ovários policísticos ao exame ultrassonográfico;
    - Excesso de atividade androgênica,

    Para que haja gravidez, a mulher precisa ovular. Como podemos ver, existem mulheres com SOP que em alguns ciclos ainda conseguem ovular ou têm ovulação pouco frequente mas ainda presente, o que confirma essa possibilidade.

    Bibliografia Consultada:Sadishkumar Kamalanathan, Jaya Prakash Sahoo, Thozhukat Sathyapalan; Pregnancy in polycystic ovary syndrome; Indian J Endocrinol Metab. 2013 Jan-Feb; 17(1): 37–43.
  • Como consequência, a SOP pode desencadear outras doenças?

  • Sim. Se não for adequadamente tratada, além de ser uma predisposição para depressão e outros transtornos do humor, a SOP pode desencadear diabetes 2, dislipidemias, risco cardiovascular, hipertensão arterial e diabetes gestacional.

    Bibliografia Consultada:Harpal S. Randeva, Bee K. Tan, Martin O. Weickert, Konstantinos Lois, John E. Nestler, Naveed Sattar, Hendrik Lehnert; Cardiometabolic Aspects of the Polycystic Ovary Syndrome; Endocr Rev. 2012 October; 33(5): 812–841.
  • É possível desenvolver câncer, principalmente nas partes que envolvem o aparelho reprodutor feminino?

  • Pacientes com SOP têm risco aumentado para o desenvolvimento do câncer de endométrio (camada interna do útero), pois nessa patologia pode haver um espessamento e crescimento desordenado dessa região do útero. Os medicamentos utilizados no tratamento, como os anticoncepcionais, previnem este acontecimento.

    Bibliografia Consultada:T. T. Piltonen, J. Chen, D. W. Erikson, T. L. B. Spitzer, F. Barragan, J. T. Rabban, H. Huddleston, J. C. Irwin, L. C. Giudice; Mesenchymal Stem/Progenitors and Other Endometrial Cell Types From Women With Polycystic Ovary Syndrome(PCOS) Display Inflammatory and Oncogenic Potential; J Clin Endocrinol Metab. 2013 September; 98(9): 3765–3775.